terça-feira, 26 de janeiro de 2016

CAPRINOCULTURA É ALTERNATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DO SEMIÁRIDO
Dentro das estratégias de convivência coma estiagem, a caprinocultura é uma das alternativas para o desenvolvimento do semiárido. Isso porque os caprinos se adaptam bem a um ambiente escasso de água. Para se ter uma ideia, uma cabra consome 6 litros de água por dia, enquanto o boi necessita de 80 a 90 litros em média. Além disso, a carne do cabrito e o leite da cabra trazem benefícios à saúde.

Entre os exemplos da carne, podemos citar baixo teor calórico, por possuir teores de gordura entre 50% e 65% inferiores ao corte bovino; baixa taxa de colesterol; riqueza em cálcio e proteína; presença de ômega 3 e ômega 6 que está diretamente ligadas à resistência imunológica e à função anti-inflamatória. Já o leite da cabra possui uma porcentagem média do teor de proteína de 3,98%; tem alto valor nutritivo; qualidade dietética; alta digestibilidade, além de ser ideal para crianças alérgicas ao leite de vaca, recém-nascidos e pessoas idosas.
Dentro desta perspectiva, o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) é exemplo no trabalho que está desenvolvendo junto aos criadores. As ações são voltadas para gestão, criação, manejo de rebanho e de pastagens, melhoramento genético, além da produção e armazenamento de forragem. Os trabalhos do Instituto são focados para o desenvolvimento de inovações tecnológicas sustentáveis e integradas com os saberes locais nas diversas atividades rurais.

Outros detalhes sobre o assunto podem ser encontrados na matéria da Revista Algo Mais, através do link: 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário