quarta-feira, 15 de março de 2017

Janot pede ao STF 83 inquéritos para investigar políticos citados por delatores entre eles o Ministro das cidades Bruno Araújo (PSDB)

A lista entregue pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF), traz pedidos de abertura de inquérito para investigar a atuação dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, segundo reportagem do O Globo.
Resultado de imagem para imagens de lula e dilma
 Por não terem foro privilegiado, ambos serão investigados por juízos de 1ª instância como outros 211 casos na lista. A decisão de enviar os processos será do ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no STF.
Além dos ex-presidente, a reportagem afirma que os nomes dos presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também estão na lista, além dos senadores tucanos Aécio Neves (MG), José Serra (SP) e Aloysio Nunes (SP), que se licenciou para assumir o Ministério das Relações Exteriores. Caso sejam aceitos os pedidos, os processos envolvendo esses políticos serão analisados pelo STF.
Resultado de imagem para imagens de Eunício Oliveira (PMDB-CE)Resultado de imagem para imagens de Rodrigo Maia (DEM-RJ)Resultado de imagem para imagens de Aécio Neves (MG)Resultado de imagem para imagens de jose serra
Resultado de imagem para imagens de aloysio nunesResultado de imagem para imagens de romero jucaResultado de imagem para imagens de renan calheirosResultado de imagem para imagens de edison lobao
Janot também pediu autorização ao STF para investigar outros políticos como Romero Jucá, líder do governo no Senado, Renan Calheiros (AL), líder do PMDB no Senado, e Edison Lobão (PMDB-MA).
Resultado de imagem para imagens de eLISEU PADILHAResultado de imagem para imagens de moreira francoResultado de imagem para imagens de gilberta kassabResultado de imagem para imagens debruno araujo
 Além dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia) e Bruno Araújo (Cidades).

Em Nota Oficial o ministro Bruno diz; ''De acordo com a legislação eleitoral, solicitei doações para diversas empresas, inclusive a Odebrecht, como já foi anteriormente noticiado. O sistema democrático vigente estabelecia a participação de instituições privadas por meio de doações. Mantive uma relação institucional com todas essas empresas''. Bruno Araújo – ministro das Cidades

Do Diário do Poder




Nenhum comentário:

Postar um comentário