segunda-feira, 6 de março de 2017

Políticos deverão intensificar as agendas de visitações no interior do Estado de olho na disputa 
 majoritária do próximo ano.
Passado o Carnaval, políticos como o governador Paulo Câmara, os ministros Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), além do senador Armando Monteiro (PTB), deverão intensificar as agendas de visitações no interior do Estado de olho na disputa majoritária do próximo ano.

Sofrendo forte pressão por conta dos sérios problemas enfrentados nas áreas de Segurança Pública e Saúde, o governador Paulo Câmara já tem um plano definido para rodar o Estado e se aproximar da população. Reeditando o Programa Todos Por Pernambuco, que desta vez se chamará Pernambuco Aqui, o atual governador realizará seminários regionais com o objetivo de tentar gerar uma agenda positiva com o anúncio de obras e atenção as lideranças.

Ministro das Cidades, o deputado federal licenciado Bruno Araújo (PSDB), nome lembrado para uma disputa ao governo ou ao senado federal, aposta nas muitas obras que estão sob a responsabilidade da pasta que comanda e que estão espalhadas no Estado como uma das formas de capitalizar apoios e aumentar o seu capital político. Desde que assumiu o ministério, em maio de 2016, o tucano já visitou mais de 50 municípios pernambucanos.


 Entre os principais assuntos tratados nas visitas estão a entrega de habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, realização de convênios ou liberação de projetos. Pelas próximas semanas Bruno Araújo pretende entregar mais de 4.000 mil casas em Caruaru, no Agreste, local que também deverá ser palco do lançamento nacional do Cartão-Reforma, Programa destinado às famílias de baixa renda para realizar reformas e ampliação de moradias.

Apontado também como um dos políticos que possuem pretensão majoritária, o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM), tem participado ativamente de inaugurações de creches, escolas e quadras, atividades que o levou a percorrer municípios em todas as regiões de Pernambuco. Aliados têm se mostrado bastante otimistas quanto à possibilidade do ministro participar de inaugurações e anúncios de parcerias com recursos do MEC na maioria dos municípios do Estado até o final do ano. Conta a favor do democrata a sua equipe de comunicação, que de maneira competente tem feito com que suas ações cheguem ao conhecimento da população, enquanto que o ministro Bruno Araújo deixa bastante a desejar nesta área.

Já o senador Armando Monteiro, lembrado como principal nome da oposição, além de dar continuidade à série de visitas que já vem realizando nos municípios pernambucanos, está desempenhando um papel de crítico da gestão de Paulo Câmara, questionando principalmente a sua liderança e capacidade de resposta aos problemas que o Estado enfrenta. O petebista deverá trabalhar ao longo deste ano no estreitamento das relações políticas com os ministros Bruno Araújo e Mendonça Filho na intenção de construir uma forte coalização para contrapor o PSB no próximo ano.

Alternativa – Em entrevista recente, o senador Humberto Costa (PT-PE) descartou a hipótese do Partido dos Trabalhadores acompanhar a candidatura de Armando Monteiro ao Governo do Estado caso ele decida se unir ao PSDB e DEM. Embora o senador não tenha falado em nomes, crescem as apostas de que a vereadora recifense Marília Arraes poderá ser o nome do partido para encarar o desafio.

Errou feio – A comunicação do Governo do Estado errou ao decidir adiar para o próximo dia 15 a coletiva que irá divulgar oficialmente o balanço dos números da violência no Estado ao longo do período de Carnaval. Com a atitude, o Governo estenderá ainda mais a repercussão negativa dos índices constrangedores que já foram divulgados por rádios e pela oposição logo após a festa de Momo.


Escrito por Wellington Ribeiro / Ponto de Vista


SEMPRE AO LADO DO POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário