quarta-feira, 17 de maio de 2017

Prefeito e Vice-Prefeito de Jataúba participam da Marcha dos prefeitos em Brasília e busca recursos

O Prefeito de Jataúba no agreste Pernambucano, Antônio de Roque (PMDB), participa ao lado do seu vice-prefeito Jackson Buraco (PSB), e do assessor Osvaldinho, de uma série de eventos que integram a programação da 20ª edição da Marcha dos Prefeitos, em Brasília

Segundo o próprio prefeito em uma participação direto de Brasília ao programa Debate Livre da Rádio Jataúba FM, a passagem pela capital federal, o gestor Jataubense deverá aproveitar para visitar ministérios, e gabinetes de deputados que obtiveram votos no município, em busca da liberação de recursos para o o bem está do município, e também vai apresentar alguns projetos da prefeitura em buscam parcerias com o Governo Federal.
O evento foi aberto nesta terça-feira (16) pelo presidente Michel Temer (PMDB), que assinou uma medida provisória que permitindo o parcelamento da dívida dos municípios com o INSS em até 200 parcelas.

“Esta é uma ótima oportunidade que temos para fortalecer as reivindicações do nosso município na Capital Federal. Vamos participar de todo evento e com certeza buscaremos junto às nossas lideranças federais o que tiver de melhor para o meu município, essa é minha meta nesse meu quinto mandato, buscar melhorias para todo povo Jataubense”, registrou Prefeito Antônio de Roque

Marcha - Considerado um dos maiores eventos municipalistas do mundo, ‘a Marcha’ conta com uma programação intensa e participação de lideranças políticas de todas as partes do país. Na pauta, as reformas que estão em discussão no Brasil vão nortear os debates. 

A programação do evento prevê debates e palestras com a presença de autoridades dos três Poderes sobre temas essenciais às administrações municipais. Os presidentes da República, Michel Temer, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, estão entre as autoridades que deverão participar da mobilização.
A Marcha dos prefeitos é organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). De acordo com a CNM, em relação ao parcelamento de suas dívidas, além da dilatação do prazo de pagamento, os prefeitos querem que seja estabelecido um teto de 1% da receita corrente líquida, sem multa, para os municípios quitarem débitos. 

A intenção, segundo o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, é temporariamente dar um fôlego para que o prefeito possa regularizar a situação do seu município. Atualmente a correção é feita pela Selic, que prevê juros bem maiores.


Com informações da assessoria de comunicação


Nenhum comentário:

Postar um comentário