quarta-feira, 17 de maio de 2017

Professores e Prefeitura de Brejo da Madre de Deus entram em consenso após impasses

Após meses de impasses sem o concebimento de reajuste salarial, os professores da Rede Municipal de Ensino de Brejo da Madre de Deus e a prefeitura do município entraram enfim em um acordo na manhã desta terça-feira (16).
Segundo informações colhidas pelo jornalista Gilberto Geraldo que acompanha o caso, foi concedido um reajuste de 7,64% que entrará em vigor a partir do mês de julho, os enquadramentos restantes de 40% referentes ao mês de outubro, mais 30% de novembro e 30% de dezembro, fechando assim todos os enquadramentos até o final do ano.
Em entrevista ao Blog o prefeito Hilário falou sobre o caso e alegou que o cenário de crise econômica pelo qual ultrapassa o país afetou também as arrecadações do município, porém que não tem poupado esforços com o intuito de amenizar a situação dos educadores.

"Estou fazendo um grande esforço. Mas, reconheço a importância dos professores e da educação do nosso município", disse o prefeito Hilário Paulo (PSD) em relação ao acordo.
A presidente do SINDUPROM Sindicato Único dos Profissionais do Magistério Público das Redes Municipais de Ensino no Estado de PernambucoLuciene Cordeiro sustentou que a categoria está satisfeita com o desfecho das negociações.

"Dentro do possível, a categoria esta satisfeita. Perdemos porque o reajuste deveria ter sido desde o início do ano, mas teremos os enquadramentos até o final do ano. Então, acatamos o acordo por entender as dificuldades da administração e assim, restabelecer o diálogo com a prefeitura", pontuou.
O SINDBREJO por meio de Agda Wilma também comentou o acordo e afirmou que embora tenham chegado a um consenso, o que foi firmado não representa as exigências iniciais da categoria.

"Após meses de luta hoje conseguimos fechar um acordo com a administração municipal, não foi do jeito que queríamos...", disse completou, "No entanto com muita luta conseguimos garantir o reajuste salarial que desde 2016 não tínhamos", finalizou a sindicalista.


Informações do Bruno Muniz



Nenhum comentário:

Postar um comentário