segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Médico diz que precariedade do HRA prejudicou atendimento ao jornalista Alexandre Farias
Um médico que trabalha no Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru, denunciou que a falta de um tomógrafo e de um neurocirurgião no HRA prejudicou no atendimento ao jornalista Alexandre Farias. Ele foi socorrido para o HRA após ser vítima de uma bala perdida durante uma perseguição policial no bairro do Alto do Moura em Caruaru, neste sábado (16). Segundo o profissional da saúde, em casos como este, o tempo é um fator determinante de sobrevida.

Ainda de acordo com o médico, se o jornalista tivesse recebido o atendimento com todos os recursos necessários, as chances de sobrevivência seriam ainda maiores.

Imagem relacionada
Nota da secretaria de Saúde do Estado:


A secretaria Estadual de Saúde se pronunciou sobre este caso através de nota
"A direção do Hospital Regional do Agreste esclarece que o jornalista Alexandre Farias recebeu a assistência adequada na unidade, onde foi realizado o primeiro atendimento e a estabilização do quadro clínico. Devido à gravidade do caso e a necessidade de cirurgia de urgência para o tratamento definitivo, foi transferido, em ambulância com suporte de UTI, para outra unidade.

Sobre a questão do tomógrafo, a Secretaria Estadual de Saúde informa que o processo de aquisição de um tomógrafo para o HRA já está em sua fase final e os estudos técnicos para realizar as adequações necessárias para instalar os equipamentos no serviço de imagem já foram realizados.

Vale destacar, ainda, que o Governo de Pernambuco tem se empenhado para reforçar as escalas das unidades da rede estadual com profissional concursados. Ao todo já foram chamados mais de 5,4 mil profissionais - a maior convocação da história da Saúde de Pernambuco. Apenas para o Hospital Regional do Agreste, foram mais de 200 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, além de outras categorias da saúde. Além disso, como, apesar dos últimos concursos da SES ainda estarem em vigor, várias especialidades já não possuem profissionais aptos para convocação para o HRA, um novo concurso está sendo planejado, com previsão de lançamento ainda neste ano."
Caso - Alexandre Farias foi baleado dentro de seu carro enquanto seguia para sua casa, no bairro do Alto do Moura, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. No caminho, o jornalista ficou no meio de um tiroteio causado por uma perseguição policial contra bandidos que estariam em um carro roubado – relembre.

Ainda durante a fuga dos suspeitos, dois socorristas do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) que atendiam uma vítima de um acidente de trânsito, também foram atropelados pelos bandidos. Os dois socorristas foram levados para o Hospital Regional do Agreste (HRA) e não correm risco de morrer.
Alexandre foi socorrido pelo SAMU para o HRA, mas foi transferido pouco depois para o Hospital da Unimed do município. Segundo os médicos da unidade ainda não sabe precisar se o jornalista ficará com sequelas. Só com o fim do coma induzido que se poderá avaliar as consequências do tiro.


Bruno Muniz


Nenhum comentário:

Postar um comentário