domingo, 29 de outubro de 2017

O negócio é protestar! Justiça de Alagoas suspende desativação de agência do Banco do Brasil em Traipu
O município de Traipu está próximo de sofrer um grande retrocesso em seu desenvolvimento, atraso provocado pelo encerramento das atividades da única agência bancária da cidade banhada pelo Rio São Francisco.

Anunciada pela superintendência estadual do Banco do Brasil para acontecer no final de novembro, o fechamento da agência vai obrigar servidores públicos municipais, aposentados, comerciantes, agricultores e os demais setores da população traipuense a utilizar os serviços bancários em Girau do Ponciano, município localizado na região Agreste de Alagoas.

“É possível verificar que o fechamento do posto de atendimento, da forma que está sendo feita, viola a função social da parte ré, pois, dentre o anúncio da decisão de fechamento e o termo fixado para o encerramento das atividades houve pouco mais de um mês, tempo evidentemente ínfimo para a reorganização econômica da cidade que só conta com esse posto de atendimento”, explicou o magistrado Ewerton Carminati.
Na última quinta-feira (26), moradores da cidade ocuparam a frente da agência com cartazes em protesto ao anúncio

Após os protesto na quinta-feira 26, quando foi nesta sexta-feira (27), o juiz da Comarca de Traipu interior de Alagoas, Ewerton Luiz Chaves Carminati, determinou a imediata suspensão do encerramento das atividades do Banco do Brasil, anunciado para o dia 19, conforme contado da Superintendência Regional do Banco do Brasil com a Prefeitura de Traipu.

Para a decisão do magistrado contou o ato, realizado na última quinta-feira (26), por moradores da cidade que ocuparam a frente da agência com cartazes em protesto ao anúncio.
De acordo com a decisão, que atendeu uma ação pleiteada pela Prefeitura da cidade, a agência deverá continuar aberta até que se julgue o mérito da ação, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

Lembrando se as atividades fossem encerradas, a única opção para os moradores seria transferir o atendimento e se deslocar até o município de Girau do Ponciano, a 30 km de distância.

“O fechamento do banco vai causar mais desemprego em nossa cidade, sem falar no risco de assalto na estrada para Girau. Isso não pode acontecer, todo mundo foi pego de surpresa e se acontecer o fechamento do banco, também acontecer o fechamento do comércio, Traipu vai voltar a ser um sítio”, lamentou o comerciante Madson de Souza Santos, durante o protesto realizado ontem.

População - Segundo a estimativa do IBGE, Traipu tem pouco mais de 27 mil habitantes. O censo de 2015 registrou 25.702 pessoas residindo na cidade e apenas 5,7% formalmente empregada, ou seja, trabalhando com carteira assinada. Além disso, o instituto aponta renda média mensal de 1,5 salário mínimo.


G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário