sábado, 24 de fevereiro de 2018

A noiva cobiçada 
No exercício do sexto mandato como deputado estadual, Guilherme Uchoa está igualmente no sexto mandato como presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, tendo exercido a função de juiz e desembargador. Aos 70 anos de idade, ele conseguiu ter protagonismo nos três poderes, pois chegou a assumir o governo durante algumas ocasiões, e exerce forte influência entre os deputados estaduais.

Guilherme chegou a romper com Jarbas Vasconcelos no auge da sua popularidade e foi um dos primeiros a apostar no projeto de Eduardo Campos em 2006 após a desistência de Armando Monteiro com quem já tinha fechado o apoio. Guilherme sabe ter lado, mas gosta de ser respeitado. O movimento patrocinado por Wolney Queiroz em negar legenda a Júnior Uchoa por medo de perder o comando do PDT pra Júnior foi uma das coisas mais atabalhoadas que já se viu. Pensando exclusivamente nele, Wolney arrumou uma confusão para o governador Paulo Câmara que teve que ser contornada às pressas no intuito de evitar um rompimento imediato que não ocorreu porque o presidente nutre uma simpatia muito grande pelo governador.

Logo Wolney que com o pai sentado na cadeira de prefeito de Caruaru suou a camisa para se reeleger em 2014 e que depois contou com a secretaria de Agricultura para tentar consertar a falta de votos que possui para renovar o mandato. É importante salientar que o governador Paulo Câmara tirou Raquel Lyra do comando do PSB de Caruaru para satisfazer a exigência de José Queiroz, que mesmo sabendo da pouca viabilidade eleitoral de Jorge Gomes, não aceitava de jeito nenhum a indicação de Raquel. No segundo turno, mesmo tendo incentivado duas candidaturas a prefeito, a de Jorge e a do Delegado Lessa, Queiroz não ouviu o Palácio e deixou de apoiar Tony Gel, que também era candidato do governador, para apoiar Raquel e depois se arrependeu de ter votado nela. Agora, quer fazer proselitismo com a população de Caruaru dizendo-se arrependido de ter apoiado a prefeita no segundo turno. Em nenhum momento Queiroz respeitou a liderança do governador.

No ano passado José Queiroz conseguiu, depois de se queixar do governador a interlocutores, a importante secretaria de Agricultura, mas em vez de assumir o posto, indicou um desconhecido que vem sendo um verdadeiro desastre na pasta. Independente do resultado no cargo, Queiroz não só foi contemplado por Paulo como também ficou alinhavado que ele iria para a chapa majoritária do governador, que por sua vez relegou a um segundo plano Guilherme Uchoa no PDT, e Tony Gel em Caruaru, ambos aliados de todas as horas dele, para satisfazer Queiroz.

O elevado espaço a José Queiroz, essa estapafúrdia ideia de Wolney de integrar uma chapinha e mais do que isso vetar Júnior Uchoa no PDT foram fundamentais para arrumar uma confusão com Guilherme Uchoa para o governador descascar. Guilherme, que é mais representativo politicamente e até mesmo eleitoralmente que Wolney e Zé, virou uma noiva cobiçada. Pois Armando Monteiro ligou para o presidente oferecendo-lhe a vaga de vice-governador na sua chapa, enquanto Fernando Bezerra Coelho disse que as portas do MDB estariam abertas para Guilherme e seu filho, numa clara demonstração de que se o governador não quiser Guilherme por causa dos Queiroz, tem gente salivando e oferecendo tapete vermelho para o presidente e seu filho pois sabe que ambos serão eleitos em outubro por excesso de votos, diferentemente dos Queiroz que estão morrendo de medo por falta deles.


Edmar Lira


Nenhum comentário:

Postar um comentário