quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Duas candidaturas na oposição estão consolidadas 
A oposição formada por PRB, PTB, DEM, PSDB, Avante, Podemos, PRTB, PV, PHS, PSDC e PRP, caminha para a formalização de duas candidaturas ao governo, cujos nomes surgem naturalmente com Armando Monteiro e Fernando Bezerra Coelho, ambos senadores.

Fernando possui um atenuante e um agravante, o atenuante é o de que está no meio do mandato de senador e não tem absolutamente nada a perder, enquanto o agravante é o de que enquanto não se resolver a situação do comando do MDB, Fernando fica fragilizado para construir a sua postulação.

Armando por sua vez tem o comando de um partido, e possui um grupo político consolidado no estado de deputados estaduais, federais, prefeitos e lideranças políticas de todo o estado, porém está no fim do seu mandato de senador, o que entrando na disputa pelo governo ele estará entrando no tudo ou nada.

As duas candidaturas se viabilizando na oposição têm por objetivo repetir o exitoso projeto que levou Eduardo Campos ao Palácio do Campo das Princesas. Mas apesar desta consolidação das duas candidaturas, a oposição para não ir fragilizada precisará apresentar dois candidatos a senador em cada chapa, e corre o risco de separada eleger uma quantidade baixa de deputados federais e até mesmo de deputados estaduais. 

Esta situação precisará ser levada em conta, mas se porventura o projeto lograr êxito, é possível que muitos que fiquem sem mandato sejam levados a postos chave de um eventual governo. De todo modo, pelo cenário que está posto, lançar as disse candidaturas é a melhor estratégia para tentar suplantar a hegemonia do PSB.


Edmar Lira


Nenhum comentário:

Postar um comentário