sexta-feira, 23 de março de 2018

A noiva cobiçada das eleições deste ano 
 
Liderada pelo Pastor Manoel Ferreira, que foi deputado estadual por sete mandatos, a família Ferreira estava inicialmente com os planos de reeleger Anderson Ferreira deputado federal e André Ferreira deputado estadual nas eleições deste ano. Anderson foi candidato a prefeito de Jaboatão dos Guararapes em 2016 muito mais por conta da votação que obteve em 2014 na cidade e para consolidar seu nome na política do que efetivamente para ganhar a eleição, mas os fatos conspiraram a favor de Anderson, que numa campanha extremamente competente conquistou a segunda prefeitura mais importante de Pernambuco do ponto de vista eleitoral, e passou a ter um protagonismo na política estadual.

O prefeito enxergou um vácuo na situação eleitoral deste ano e entendeu que o melhor caminho era lançar uma pré-candidatura do grupo ao Senado Federal. O nome de André Ferreira foi posto inicialmente com descrença do meio político, mas novamente as coisas conspiraram a favor da família Ferreira que André se tornou, pelo ativo eleitoral e político do grupo, a noiva cobiçada das eleições deste ano. Como estão em jogo duas vagas para o Senado, quem quer ser governador considera a necessidade de ter a família no palanque.

O senador Armando Monteiro já afirmou que caso tenha o apoio de Anderson, entregará uma das vagas ao Senado na sua chapa a família, que recentemente ganhou um importante ativo eleitoral e político que foi a filiação de Guilherme Uchoa, Junior Uchoa e outras lideranças políticas do estado, fazendo do PSC uma das siglas que mais cresceram nesta fase de filiação em Pernambuco. Mas Armando não é o único a fazer esta conta.

O também senador Fernando Bezerra Coelho, que recentemente pegou o comando do MDB e consolidou sua pré-candidatura, também garantiu que os Ferreiras terão uma vaga de senador na sua chapa. Assim como Armando, Fernando também apoiou irrestritamente a candidatura de Anderson a prefeitura, não participando do primeiro turno em Jaboatão por respeito a postulação de Heraldo Selva, que era o nome do seu então partido, o PSB, mas no segundo turno chegou até a ir ao lado do ministro Fernando Filho para ato de campanha do prefeito, que sagrou-se vitorioso.

O Palácio por sua vez, que torceu pela vitória de Heraldo e depois de Neco, e que não estava inclinado a ter os Ferreiras na coligação, já faz outra avaliação e deseja ter André Ferreira na chapa majoritária para garantir o empenho de Guilherme Uchoa e Anderson Ferreira na reeleição de Paulo Câmara. A vaga de André na majoritária, na conta de um palaciano, só não é mais garantida do que a do governador, mas hoje diante dos fatos que ocorreram nos últimos dias, com a perda do MDB e do PPS para a oposição, a manutenção do PSC, dos Uchoa e dos Ferreira na Frente Popular se tornou essencial para o êxito de Paulo Câmara.

Pelo desejo de todos os candidatos em ter os Ferreiras junto, está encaminhado que aquele candidato que tiver a família no palanque, estará com ligeira vantagem em relação aos demais,uma vez que os Ferreiras ganharam tal protagonismo na equação eleitoral de Pernambuco que serão o fiel da balança para determinar o sucesso de um projeto no estado.



Edmar Lira


Nenhum comentário:

Postar um comentário