segunda-feira, 26 de março de 2018

Guerra fria entre Eduardo da Fonte e os Ferreiras marca eleição neste ano

Atualmente com o comando da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, uma cadeira na Câmara do Recife e outra na Assembleia Legislativa, o Clã Ferreira já está mais que decidido a ocupar um espaço de protagonismo nas eleições deste ano, para isto o grupo trabalha pesado no sentido de emplacar o deputado estadual André Ferreira como candidato ao Senado.

Apesar de não oficializarem uma posição concreta em relação a qual grupo pretende se unir, seja com a Oposição liderada por Armando Monteiro, Fernando Bezerra, Mendonça Filho e Bruno Araújo, ou com a Frente Popular, a filiação de Guilherme Uchôa ao PSC deixou os Ferreiras mais próximos do palanque de Paulo Câmara (PSB), o que para alguns amplia a possibilidade de André compor com o governador ocupando uma das vagas destinadas à disputa pelo Senado.

No entanto, embora disponham de um capital político robusto, o que inclui o comando do segundo maior colégio eleitoral do estado, um bom grupo de pré-candidatos a deputado estadual e uma forte presença no seguimento evangélico, o que por si só os legitima a ocupar o posto, o maior impeditivo atualmente para que os Ferreiras consigam uma das vagas ao Senado pela Frente Popular se chama Eduardo da Fonte.

Comandante do PP, partido da Frente Popular que possui o maior tempo de televisão e que conta com um verdadeiro exército de candidatos a deputado estadual, Eduardo da Fonte trava com os Ferreiras o que podemos chamar de uma verdadeira “Guerra Fria” na política.

Indiferentes até as eleições de 2016, a relação entre os Ferreiras e Eduardo da Fonte azedou não apenas porque Anderson venceu a disputa pela prefeitura de Jaboatão em cima de Cleiton Collins, mas também porque tem tomado ciência do trabalho pesado que o Clã vem realizando para diminuir a liderança no seguimento evangélico do seu maior aliado. Por esta razão, Da Fonte tomou as dores de Cleiton e agora busca a todo custo neutralizar o crescimento dos Ferreiras. Sendo, portanto, dentro da Frente Popular, a principal voz contrária à indicação de André a uma das vagas ao Senado.

Além de Eduardo da Fonte e Pr. Cleiton Collins, corre nos bastidores políticos a informação de que líderes de uma grande denominação evangélica no estado também seriam contrários à ascensão de um Ferreira a uma das vagas ao Senado pela Frente Popular.



Wellington Ribeiro Blog Ponto de Vista


Nenhum comentário:

Postar um comentário