quinta-feira, 1 de março de 2018

JATAÚBA, 56 ANOS DE HISTÓRIA! BIOGRAFIA DE JOSÉ LOPES DE SIQUEIRA (BICHINHO)
Tempos depois de sua emancipação e primeira eleição, Jataúba perdia um líder político importantíssimo de sua história. José Lopes de Siqueira, chamado carinhosamente de ''Bichinho'', era covardemente assassinado em plena luz do dia. Nascido em 29 de julho de 1913 e vindo de uma família humilde e católica por tradição, José Lopes traçou a política e lutou incansavelmente pela emancipação de nossa terra. 

Era filho de Francisco Lopes de Melo, agricultor, que faleceu com mais de 100 anos de idade, e de Maria Ferreira Guimarães, primeira agente dos Correios e Telégraphos, de Jatobá, então distrito do Brejo da Madre de Deus. Possuía um comércio de estivas, bebidas e padaria, estabelecido na antiga Rua Dom Pedro II, hoje em sua homenagem, chama-se: Avenida José Lopes de Siqueira. 

Amava seu comércio e para transportar sua mercadoria adquiriu um caminhão que o denominava de “besouro verde”, sendo um dos primeiros a circular nesta região. A agricultura era seu refúgio e administrava sua pequena fazenda, denominada Travessia, situada neste município, onde criava poucas cabeças de gado e concentrava seu maior rebanho na ovinocultura.
 Iniciou o cultivo do cizal, depois o do algodão arbóreo, na época, denominado de Ouro Branco. Tinha, no plantio de algodão, a maior economia desenvolvida, que no período de safra, permitia-lhe empregar centenas de homens e mulheres no trabalho temporário da colheita. Ingressou na vida política, ainda muito jovem, sendo eleito vereador por este distrito, quando pertencia ao município de Brejo da Madre de Deus. O seu mandato, exercido no período de 1955 a 1959, foi marcado pela busca da realização de um grande ideal, através de um audacioso projeto: "a tão almejada emancipação política de Jataúba", que teve a honra de alcançá-lo, ainda em vida, em 31 de dezembro de 1958, sendo sancionada em 1962. 

José Lopes de Siqueira conviveu maritalmente com Maria Izabel Queiroz e, desta união, constituiu uma família composta de quatro filhos: Paulo Fernando de Queiroz Siqueira, Paula Frassinete de Queiroz Siqueira, Petrônio Flávio de Queiroz Siqueira e Pecíola de Fátima de Queiroz Siqueira. 

Através de concurso público, foi o primeiro tabelião público oficial do registro de imóveis, títulos, documentos e seus anexos, foi também escrivão do cível e crime e seus anexos do Cartório Único de Jataúba. Bichinho pleiteou o cargo de "primeiro prefeito eleito" do município de Jataúba em 1962, mas foi vencido nas urnas pelo seu então oponente: José Higino. José Lopes faleceu, precocemente, com a idade de 50 anos, por bárbaro assassinato, pelas mãos criminosas de um soldado de polícia, vulgo “Marinheiro”, no dia 13 de junho de 1964, (dia de Santo Antônio, padroeiro do distrito Jacu, deste município), às 06h00 de um sábado, dentro de seu próprio estabelecimento comercial, sem o direito de esboçar qualquer reação defensiva, não havendo nenhuma luta corporal ou verbal. 

Assim, um dos personagens principais da história de Jataúba calava-se para sempre. Tal fato fez o município de Jataúba passar por grande comoção cujo sentimento de pesar gerou o eterno reconhecimento: “Aqui jaz o grande líder político de Jataúba, que com coração, corpo e alma moveu céus e terras por sua terra natal”. Certamente, seus conterrâneos e familiares são eternamente gratos a este digno homem.


CRÉDITOS: Foto: José Lopes de Siqueira – (Bichinho); Dados e pesquisa: Biografia enviada por Petrônio Siqueira; Edição e adaptação: Memória Jataúba


Nenhum comentário:

Postar um comentário