segunda-feira, 16 de abril de 2018

Horta como terapia ocupacional para pacientes do Hospital Ulisses Pernambucano
Desenvolvida pelo Governo de Pernambuco, iniciativa proporciona terapia ocupacional para os usuários do serviço de saúde

Buscando estimular a promoção da qualidade de vida através da orientação técnica sobre horticultura e o consumo de produtos cultivados sem agrotóxicos, o programa Horta em Todo Canto tem envolvido cada vez mais pessoas e conquistado mais espaços para o seu desenvolvimento. Concebido em agosto de 2016, através da iniciativa da primeira-dama Ana Luiza, o sucesso de sua operacionalização permitiu a sua expansão e o aprimoramento da iniciativa em ambientes como a horta cultivada no Hospital Ulisses Pernambucano. Localizado dentro da unidade, o espaço conta com 35 canteiros e possui colheita semanal. Todos os alimentos produzidos são consumidos pelo público interno do equipamento de saúde.
Com ênfase no tratamento dos pacientes, a horta ajuda como terapia ocupacional para os usuários do serviço de saúde. Através do desenvolvimento de atividades como capina, plantio e replantio, o paciente pode sair da rotina do ambiente hospitalar para vivenciar uma experiência social e de integração com o meio-ambiente. "Muitos dos nossos pacientes são de origem rural. Com isso, buscamos também resgatar o que viveram em épocas passadas, trazendo um bem estar natural", explica Minúcio Monteiro, engenheiro agrônomo e membro do Comitê Gestor do Horta em Todo Canto.
A horta do hospital possui ainda parcerias com a Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE) e o Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (CEASA). A UFRPE disponibiliza alunos de Agronomia para auxiliarem nas técnicas de plantio. Esses estudantes passam a contar com a iniciativa como complemento do currículo acadêmico. A CEASA, por sua vez, assume os custos da horta e disponibiliza funcionários exclusivos para a sua manutenção. Até o momento, foram realizadas 14 colheitas de hortaliças como quiabo, tomate, alface, pimentão, coentro, cebolinha, pimenta, berinjela, couve-de-folhas, cenoura e beterraba.
As hortas comunitárias do projeto visam inspirar os pernambucanos a desenvolverem boas práticas ambientais e cívicas. A partir dessa iniciativa nos espaços públicos, o Governo do Estado pretende criar um efeito mobilizador. E, com isso, levar a atividade a outros setores da sociedade local. Além de unir as pessoas e aumentar a qualidade dos envolvidos, as hortas alteram a paisagem, proporcionando uma integração com a natureza em grande centros urbanos. São realizadas periodicamente avaliações nutricionais dos servidores de locais que possuem hortas, dicas de reeducação alimentar através de rodas de conversas e o esclarecimento de mitos e verdades em relação à alimentação.
Coordenado pela Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional de Pernambuco (CAISAN-PE), o projeto Horta em todo o Canto agora busca implantar na vida das pessoas, cada vez mais, o hábito da alimentação saudável. Atualmente, iniciativa conta com hortas em vários órgãos de administração pública, são eles: Horta do Palácio, Horta do Centro de Convenções (Cecon), Horta do IPA, Horta da SEMAS, Horta Hospital do Otávio de Freitas, Horta Hospital Ulisses Pernambucano, Horta Compaz Eduardo Campos, Horta Upa da Caxangá, Horta Secretaria de Saúde, Horta Arena, Horta Secretaria da Mulher, Horta Fórum Arcoverde, Horta Hospital de Areias, Horta Secretaria dos Transportes, Horta Creed, Horta Hospital e Policlínica Jaboatão dos Guararapes, Horta Memorial do TJ - (Horta Sensorial) e Horta Prefeitura da Cidade do Recife (PCR).  
HORTA-ESCOLA - Idealizado para ocupar espaços da administração estadual que não estivessem sendo aproveitados, o programa alçou voos ainda maiores. Hoje, promove diversas ações. Além de ensinar os servidores de instituições públicas que demonstram interesse em aderir ao projeto, a iniciativa também permite ao cidadão a participação de palestras, oficinas e cursos. Dessa forma, o servidor age como um agente multiplicador de ideias. O curso tem quatro módulos e acontece uma vez por semana, possuindo carga horária de 32 horas/aulas e contando ainda com atividades de práticas de análise de solo e vermi com postagem e compostagem. A horta-escola funciona na sede do IPA, no bairro de San Martin.
EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - O projeto vem sendo desenvolvido também nas escolas públicas estaduais através da Secretaria de Educação, que, até o final de 2017, implantou 141 hortas escolares em Pernambuco. A ação busca transformar as hortas comunitárias em material pedagógico, com a participação de todo o corpo docente, além de pais e alunos. “Podemos considerar essas hortas escolares como uma sala de aula, onde podemos desenvolver com os alunos assuntos ligados a diversas disciplinas”, afirmou a representante da Secretaria Estadual de Educação, Floreci Lira. A equipe ainda desenvolve trabalhos com os reeducandos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e e apenados como forma de ressocialização.


Informações da Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário