quinta-feira, 10 de maio de 2018

Em 13 anos, mortes em ações policiais aumentaram 623% em Pernambuco

Segundo a SDS, 123 pessoas foram mortas pela polícia em 2017. Um dos casos é do estudante Edvaldo, em Itambé.

Levantamento da Secretaria de Defesa Social (SDS) aponta que 535 pessoas foram mortas em ações policiais nos últimos 13 anos em Pernambuco. Em 86% dos casos, as vítimas foram executadas por PMs. Já 14%, a autoria foi da Polícia Civil. Os dados foram disponibilizados por meio da Lei de Acesso à Informação.
Em 2004, quando as estatísticas começaram a ser registradas pela SDS, 17 mortes em confrontos policiais foram somados no Estado. Já no ano passado, o número subiu para 123. A variação é de 623%.

Os dados da segurança pública também revelam que, ano após ano, o número de mortes registraram nas intervenções policiais só cresceu. Em 2014, foram 27 mortes. Em 2015, a polícia matou 37 pessoas. Já no ano seguinte, 64. Por fim, em 2017, o número quase dobrou: 123.

Um dos casos mais polêmicos registrados no ano passado foi a morte do estudante Edvaldo da Silva Alves, de 19 anos, baleado pela polícia durante um protesto que pedia mais segurança para o município de Itambé, na Mata Norte de Pernambuco, em março. Após 25 dias internado na UTI, ele morreu. Os policiais envolvidos na ação desastrosa foram punidos administrativamente e respondem criminalmente por homicídio.
Confira, acima, as estatísticas de mortes em ações da polícia nos últimos 13 anos.

Naquele mesmo mês, cinco suspeitos de assaltar agências bancárias no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, também foram mortos durante confronto com a polícia. Outros cinco criminosos foram presos na ação. De tão perigosos, a Justiça determinou a transferência deles para um presídio federal, como revelou o Ronda JC.


JC



Nenhum comentário:

Postar um comentário