quinta-feira, 31 de maio de 2018

Evangélicos devem ampliar protagonismo em Pernambuco 
A cada eleição que se passa, o segmento evangélico vem se tornando mais forte, tanto do ponto de vista político quanto eleitoral, quando tem ocupado os postos de candidatos mais votados para disputas proporcionais, e em 2016 eles tiveram o ápice do seu crescimento com a vitória de Anderson Ferreira para prefeito de Jaboatão dos Guararapes, segundo município mais importante de Pernambuco.

Em 2018 o quadro não é diferente, tanto o Pastor Eurico quanto Fred Ferreira e Ossesio Silva possuem grandes chances de vitória com expressivas votações para a Câmara Federal, bem como Eduardo da Fonte deverá repetir o êxito da dobradinha com o segmento através de Cleiton Collins. Para a Assembleia Legislativa de Pernambuco não é diferente, Manoel Ferreira deverá voltar ao mandato com expressiva votação, assim como o nome apresentado pela Igreja Universal e o Presbítero Adauto, que renovará seu mandato com a força da Assembleia de Deus.

Cleiton Collins, que há três eleições é o mais votado de Pernambuco, sempre batendo recordes de votos, deverá renovar seu mandato com uma expressiva votação, o que aponta a credibilidade do segmento perante o eleitorado, sobretudo num momento de descrédito da classe política e um crescimento do eleitorado conservador no país inteiro.

O próximo passo para o segmento, que poderá ser um divisor de águas em Pernambuco, é a audaciosa pré-candidatura de André Ferreira ao Senado pelo PSC. Duas vezes vereador mais votado do Recife, e eleito com expressiva votação para deputado estadual, André Ferreira poderá ser o primeiro evangélico a representar Pernambuco no Senado Federal, o que colocaria de uma vez por todas a família Ferreira no rol das mais importantes da política estadual, e garantiria ao segmento uma perspectiva de voos ainda maiores.

As eleições de 2018 podem representar uma ampliação significativa do segmento evangélico na política pernambucana, o que permitirá uma maior discussão das pautas voltadas para a família e naturalmente para o conservadorismo.


Edmar Lira


Nenhum comentário:

Postar um comentário