terça-feira, 13 de novembro de 2018

CONFLITO INFORMAÇÕES PIORA AINDA MAIS RELAÇÃO DE PERNAMBUCO E GUIAS DE TURISMO COMERCIAL

Os comentários de algumas pessoas do município de Santa Cruz do Capibaribe e de parte da imprensa atribuindo o movimento deflagrado pelos Guias de Turismo Comercial dos estados Maranhão, Piauí e Pará, como uma ação de oportunismo da presidente da AGTURCO – Associação dos Guias de Turismo Comercial do Norte e Nordeste, Shill Souza, para levar os clientes para o Mucuripe Moda Center em Fortaleza no Ceará, acabou piorando ainda mais a relação do Polo das Confecções do Agreste de Pernambuco com os clientes de guias dos estados que aderiram a paralisação.
O fato é que, algumas pessoas estão atribuindo a responsabilidade do movimento a pessoa de Shill, que na verdade, como presidente da AGTURCO está apoiando a greve proposta pela categoria que acusa a Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco (SEFAZ-PE) de perseguir os ônibus e carretas que saem do Polo de Confecção, bem como, da dificuldade em obter notas ficais no Moda Center Santa Cruz aonde, segundo eles, os vendedores se negam em emitir a nota que é de dever do fornecedor e não do comprador.


A reportagem teve acesso a um grupo de WhasApp dos guias de excursões aonde dezenas de áudios foram postados mostrando a situação de divergência, principalmente depois que tentaram ligar o movimento a uma suposta estratégia da presidente da AGTURCO para favorecer Fortaleza.

No grupo ainda existem várias imagens com a campanha #NÃOPERNAMBUCO e #SIM a outros estados como Ceará, Goiás e São Paulo.
Também novos vídeos foram postados por guias e clientes que frequentam o Moda Center Santa Cruz, aderindo ao movimento que pode afetar diretamente a economia da Região.
O Moda Center por sua vez, tentar reverter a situação com propagandas positivas, informando que tem notas ficais no centro atacadista de confecções.

O fato é que, a corda poderá torar para o lado mais fraco e é preciso que as autoridades e representantes do Polo das Confecções busquem alternativas viáveis para contornar a situação, caso contrários, poderemos sentir o impacto do que vem sendo desenhado, pois até então, a revolta dos clientes e dos guias era com as ações da SEFAZ, no entanto, alguns comentários tem feito os mesmos se revoltarem com os próprios confeccionistas.
Ouça abaixo alguns áudios que demonstram a situação preocupante com o confronto de críticas e acusações de pessoas do Polo de Confecção e dos integrantes do movimento.


 Blog Agreste Notícia


Nenhum comentário:

Postar um comentário