quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Articulações, pressão, choro e reviravoltas marcam eleição da nova Mesa Diretora na Câmara
Na tarde desta terça-feira (04) foram realizadas as eleições que definiram os nomes da nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, em Santa Cruz do Capibaribe.
A eleição foi marcada por momentos momentos tensos, que aliaram muita articulação política, conversas e também muita pressão exercida sobre as três bancadas.
Após quase uma hora de discussões e reviravoltas, ficou definido que a nova Mesa Diretora seria integralmente de vereadores de Oposição ao governo de Edson Vieira, contendo os nomes de Augusto Maia (presidente), Ronaldo Pacas (vice-presidente), Júnior Gomes (primeiro secretário) e Carlinhos da Cohab (segundo secretário).
  
A eleição acabou acontecendo em chapa única e, de acordo com Governistas, já havia o acordo de uma composição da bancada de José Augusto Maia com a do prefeito Edson Vieira (PSDB), que colocaria Helinho Aragão a presidência, porém o acordo acabou não se cumprindo.
Dentre as lideranças que estiveram presentes nas articulações, estavam nomes como o vice-prefeito Dida de Nan (PSB), o deputado estadual Diogo Moraes (PSB), o ex-vereador Fernando Aragão (PTB), o ex-deputado federal José Augusto Maia, seu filho Tallys Maia (Avante) e o secretário municipal de Saúde, Dr. Nanau. 
Pressionado
O vereador Augusto Maia foi um dos parlamentares mais pressionados durante os bastidores, tanto que após uma das reuniões, a portas fechadas, desta vez com seu pai José Augusto Maia, não conseguiu conter o choro.
Visivelmente abalado, Augusto mal conseguia esconder a preocupação diante do clima de pressão nas salas e corredores. Informações de bastidores apontaram que, na reunião com o pai, Augusto expressou o desejo dele de manter o nome de Helinho a presidência, mesmo confirmando a composição com a bancada de vereadores que apoiam Diogo Moraes (PSB). 
José Augusto Maia teria retrucado, inclusive citando que o filho não deveria “se torar” perante o que estava sendo posto e que ele era o seu representante naquela câmara.
Outro também dos insatisfeitos com os rumos das articulações era o vereador Capilé, que chegou a sair de uma das reuniões bastante irritado. Na tribuna, ele anunciou seu rompimento com o ex-deputado José Augusto Maia, chegando a se retirar do plenário e regressando minutos depois.
Outro que também não se mostrou satisfeito foi Helinho Aragão.
Um dos que não conseguiam esconder a alegria com o resultado era o deputado estadual Diogo Mores. Por várias vezes, ele chegou a declarar que a festa da vitória estaria garantida, independente dos nomes que fossem indicados a mesa diretora.
.
Uma ausência registrada na eleição foi a do prefeito Edson Vieira (PSDB). Informações de bastidores apontam que, mesmo não estando presente, participou ativamente das rodas de articulações, tendo como interlocutores nomes como o de Jessyca, Nanau e Zé Minhoca. 


Ney Lima


Nenhum comentário:

Postar um comentário