quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Pernambuco tem pior disponibilidade hídrica do país, diz TCE. Órgão aponta que metade da água se perde antes de chegar às torneiras
Uma auditoria especial realizada pelo Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) apontou que o estado tem o pior índice de disponibilidade hídrica do Brasil. O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (19), foi feito para identificar os principais problemas que afetam o abastecimento de água no Agreste.

Além da escassez natural por falta de chuva, o tribunal afirma que 50% da água encanada que é servida pela Compesa, se perde em vazamentos de tubulações e adutoras.

A disponibilidade hídrica é o resultado da quantidade de água acumulada nos reservatórios, dividida pela quantidade de moradores. O resultado obtido em Pernambuco é de 1.270 metros cúbicos de água para cada habitante. Por ano, cada pernambucano recebe pouco mais de 100 mil litros de água, o menor índice do Brasil.

De acordo com o TCE, dos 107 reservatórios monitorados em Pernambuco, 66 estão em situação de colapso, com menos de 10% da capacidade total. Das 71 cidades do Agreste, 70 decretaram situação de emergência ou calamidade pública.

Compesa; O presidente da Compesa, Roberto Tavares, afirma que o governo investiu R$ 8 bilhões, desde 2006, em obras que vão resolver o problema da falta d’água em Pernambuco. Ele também disse que o cronograma das obras foi prejudicado, porque o trabalho depende de recursos federais.

Prazos; Relator da auditoria, o conselheiro do TCE-PE Dirceu Rodolfo disse, no entanto, que o governo estadual não pode depender de recursos federais para resolver o problema da falta d’água, principalmente em cidades do Agreste. Foi dado um prazo de 30 dias à Compesa e a Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco para apresentar ao tribunal uma defesa e um plano de ação.


Informações do G1 Pernambuco.


APOIO CULTUTAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário