sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Jair Bolsonaro e o PSL terão peso importante no Recife 
A eleição de 2020 na capital pernambucana onde estará em jogo a sucessão do prefeito Geraldo Julio terá o PSB com a força natural para emplacar o sucessor, devido à exitosa gestão do prefeito, e o PSL do presidente Jair Bolsonaro que ganhou um significativo tempo de televisão, e se tiver um candidato próprio possui grandes chances de polarizar com o nome do PSB.

É importante salientar que no primeiro turno Jair Bolsonaro venceu com 43,14% dos votos válidos no Recife, e no segundo turno, o presidente obteve 47,50% perdendo por uma pequena diferença para Haddad num reduto historicamente petista e que contava com o apoio do prefeito do Recife e do governador reeleito. Esse capital político de Jair Bolsonaro não pode ser desprezado numa eleição que representará 20 anos de PT e PSB se alternando no comando da cidade do Recife.

Mesmo com todo esse capital político e eleitoral, Bolsonaro ainda não tem um nome natural para apresentar em 2020 no Recife. Luciano Bivar por ser filiado ao PSL seria uma possibilidade, porém ele não atinge o perfil de candidato que representaria renovação como alternativa na disputa.

Os deputados federais André Ferreira, André de Paula e Silvio Costa Filho, que integrarão a base do presidente na Câmara dos Deputados, também podem surgir como possibilidade de nomes com o apoio do governo federal mas isso dependerá fortemente da relação que eles construírem com o presidente nestes dois anos que antecedem a disputa municipal. A sorte está lançada, mas está latente que as chances de a hegemonia do PSB no Recife ser quebrada passam completamente pelo governo Bolsonaro, uma vez que a oposição no estado saiu praticamente dizimada das urnas após a derrota de Armando Monteiro par Paulo Câmara ainda no primeiro turno.


Edmar Lyra


Nenhum comentário:

Postar um comentário