sábado, 5 de janeiro de 2019

O Bicho vai pegar; Disputa expõe racha dentro do PSB Pernambucano
Radar Político (05/01) – Disputa expõe racha dentro do PSB
Caso não haja intervenção do Palácio, a disputa pela 1ª vice-presidência da ALEPE tem tudo para se transformar em um episódio digno de muita disputa.

Reservado ao PSB, o posto é alvo de desejo dos deputados Aglailson Victor e Simone Santana. No entanto, na última semana mais um nome do partido surgiu com interesse na vaga. Diogo Moraes.

Atual 1º secretário da Mesa Diretora, Diogo Moraes já revelou a alguns parlamentares o seu desejo de permanecer na Mesa, no entanto, impossibilitado pelo Regimento Interno da Casa de concorrer à primeira-secretaria, cuja a disputa se dar entre os colegas de partido Clodoaldo Magalhães e Isaltino Nascimento, o deputado agora mira na 1ª vice-presidência.

Apesar de Diogo possui excelente trânsito entre os deputados veteranos, a sua ausência na Casa tem dificultado na construção de sua candidatura entre os novatos, que vez ou outra são vistos visitando a ALEPE e são abordados por Simone Santana e Aglailson Victor.

Amparados em um “acordo” que diz que aquele(a) que obtiver mais assinaturas de deputados do partido será o escolhido para representar a sigla na Mesa, há a expectativa de que não haja um bate chapa, no entanto, ao que se sabe, parece que os candidatos não estariam dispostos a respeitar tal acordo, prova disto é que todos já estão à todo vapor na busca do voto de deputados dos outros partidos.

Para se ter ideia de como anda a disputa, dois ex-deputados entraram no circuito na busca por votos. Aglailson Júnior e Carlos Santana. O primeiro é pai de Aglailson Victor, já o segundo é esposo de Simone Santana. O que antes se resumia a encontros com deputados na ALEPE, já partiu para conversas ao pé do ouvido em restaurantes e até na busca do voto em reuniões na casa dos deputados.

O que se desenha, caso o Palácio não interfira e nem Simone e Aglailson cheguem a um acordo, é uma disputa que, embora resulte em um vitorioso entre os dois, terá como desfecho uma derrota dentro do próprio PSB, o que não é nada bom para o partido.

Um mal acordo vale mais que uma boa briga?
Trauma – No ano de 2015 o então deputado Lula Cabral (PSB), que tinha a garantia de apoio do Palácio, bateu chapa com Diogo Moraes (PSB), que foi de encontro a orientação do partido e disputou a primeira-secretaria. No final Diogo saiu vitorioso por 32 votos a 15. Lula colocou na conta do Palácio a derrota e ficou um bom tempo com a relação estremecida com o governador.

Acordo – No final do ano de 2008 o então deputado Aglailson Júnior recuou da decisão de enfrentar João Fernando Coutinho, também do PSB, na disputa pela 1ª secretaria para assumi a terceira-secretaria. O acordo só foi possível porque André Campos, na época PT, abriu mão da vaga para presidir a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça.

Articulação – O empenho do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, deve render bons frutos ao município de Cumaru, onde sua esposa Mariana Medeiros é prefeita. Além de destinar mais de R$ 600 mil em emendas para o município para este ano de 2019, Eriberto conseguiu ainda mais de R$ 1,4 milhão junto a outros deputados. Os recursos estão carimbados para a realização de obras de infraestrutura no município.



Wellington Ribeiro / Ponto de Vista


PROGRAMA DEBATE LIVRE

Nenhum comentário:

Postar um comentário