quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

PSB cria novo embaraço com o segmento evangélico
O líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Isaltino Nascimento, tomou a decisão de trocar o deputado Presbítero Adalto da Comissão de Direitos Humanos por ele próprio no sentido de facilitar a indicação das Juntas para a presidência da comissão na Alepe.

A troca de Adalto, que de acordo com o regimento interno da Casa tem que ter um ofício assinado pela maioria da bancada do PSB, é uma verdadeira afronta à Assembleia de Deus, que é um braço do segmento evangélico que dá uma firme sustentação ao PSB em diversas eleições desde os tempos de Eduardo Campos e Miguel Arraes.

O episódio de agora, que teve uma interferência direta do governo no sentido de viabilizar as Juntas na comissão, remete ao ocorrido em Garanhuns quando o governo financiou uma peça que relacionava Jesus a figura de um travesti, que permitiu um grande embaraço ao governo na época.

Caso a manobra feita pelo governo garanta as Juntas na presidência da Comissão de Direitos Humanos, isso terá um desgaste muito grande do governo junto à comunidade evangélica, uma vez que a disputa não se restringe a governo e oposição, mas sim a evangélicos e setores do segmento LGBT, que poderá cair no colo do PSB. O desfecho tende a ser devastador para o governo junto ao segmento evangélico, que vem ganhando cada vez mais protagonismo político e formando opinião contundente e que repercute na sociedade.


Edmar Lyra


Nenhum comentário:

Postar um comentário