quinta-feira, 14 de março de 2019

Na Paraíba, propinas eram entregues no Hospital de Trauma e em escritório de advogacia no Bessa
Resultado de imagem para imagens do Hospital de Emergência e Trauma,campina
Em delação ao Ministério Público da Paraíba, Leandro Azevedo, ex-assessor de Livânia Farias, preso na primeira farsa da Operação Calvário, informou que em João Pessoa, encontros para pagamentos e recebimento de propina oriunda de contratos entre o Governo do Estado e a Cruz Vermelha, aconteciam no próprio Hospital de Emergência e Trauma, como também num escritório de advogacia localizado no bairro do Bessa.

Segundo o delator, os pagamento iniciais eram feitos por Saulo Pereira Fernandes (alvo da terceira fase da Operação Calvário), ocorrendo os primeiros encontros na rua e, posteriormente, num escritório no bairro do Bessa, de propriedade do advogado Francisco Ferreira.

Ainda segundo o delator, Saulo seria o responsável financeiro da Cruz Vermelha, e que chegou a receber dinheiro de propina pago por Saulo dentro das dependências do próprio hospital.


paraibaradioblog.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário