quinta-feira, 25 de abril de 2019

Réu em mais de dez processos, Clodoaldo Barros é preso em Santa Cruz do Capibaribe-PE

Foi preso no início da tarde desta quarta-feira (24), Clodoaldo Barros de Queiroz, 40 anos, ex-candidato a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe no ano de 2016. O popular que é réu em mais de dez processos foi alvo de mais uma polêmica nos últimos dias quando através das redes sociais atacou moralmente as filhas do prefeito Edson Vieira, do PSDB. Todas as três filhas do político são menores de idade.

Clodoaldo foi levado para Delegacia de Polícia local após uma audiência ocorrida no Fórum local. O pedido de prisão foi solicitado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apontando uma série de descumprimentos de medidas legais, essas já na condição de réu. Clodoaldo é acusado de ofender em redes sociais juízes, promotores e outras figuras públicas, totalizando uma série de publicações.
Dentre as polêmicas que envolvem o popular estão ainda duas interrupções de sessões parlamentares. Em uma delas, Clodoaldo atirou ao chão documentos que eram lidos na reunião e em seguida ofendeu verbalmente vereadores. Na segunda ocasião, o mesmo invadiu o plenário da Casa Dr. José Vieira de Araújo e atirou ovos contra três vereadores.

Devido as suas ações, Clodoaldo foi impedido de frequentar a Câmara Municipal, porém foi novamente detido quando um dia voltou a se fazer presente em mais duas sessões entre os edis. Na ocasião a Guarda Municipal foi acionada ele foi detido e levado para delegacia para prestar esclarecimentos pelo descumprimento da ordem de manter distância de 500 metros do prédio público.

Só contra o promotor de justiça Iron Miranda dos Anjos, Clodoaldo somou oito processos por calúnia, difamação e ofensa pública. Ele também foi alvo de ações após insultar em postagens o juiz Tito Lívio e o promotor Odir Guerra. As ofensas feitas gratuitamente em comentários nas redes sociais levou o popular por diversas vezes aos tribunais.

Clodoaldo deverá agora seguir para unidade prisional de Santa Cruz do Capibaribe, onde aguardará por julgamento.



Bruno Muniz


Nenhum comentário:

Postar um comentário