terça-feira, 25 de junho de 2019

Deflagrada a disputa pela vaga no TCE 
Nos bastidores da política pernambucana havia uma disputa silenciosa em torno de uma vaga no Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. Esta vaga abriria somente em 2023 com a aposentadoria da conselheira Teresa Dueire, porém quis o destino que o conselheiro João Henrique Carneiro Campos tivesse um infarto e falecesse precocemente, aos 49 anos no último sábado.

Respeitado o processo de morte e sepultamento do conselheiro, agora a Assembleia Legislativa e o governo de Pernambuco se debruçam na escolha de um nome para substituí-lo. O cargo é vitalício e pode ser ocupado por alguém que tenha mais de 35 anos e menos de 65, com reputação ilibada com notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, financeiros, econômicos ou de administração pública.

Por ser um cargo vitalício com a mesma remuneração de magistrados, muita gente pretende ocupá-lo e nos bastidores já temos alguns nomes lembrados, porém ainda há uma dúvida quanto a quem terá o direito de indicar o substituto de João Campos, se a Assembleia Legislativa ou se o governador Paulo Câmara, mas certamente teremos uma definição nos próximos dias.

Se for da Alepe, pelo menos quatro nomes surgem com chances para o posto, são eles: Alberto Feitosa, Isaltino Nascimento, Guilherme Uchoa e Waldemar Borges, todos deputados estaduais. Já pelo governo, surgem os nomes de André Campos, José Neto, Milton Coelho e Nilton Mota, o fato é que os oito nomes teriam envergadura para o posto e atenderiam os requisitos estabelecidos pela constituição estadual.

O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco é um órgão auxiliar do Poder Legislativo que aprecia as contas do governo do estado e de prefeituras do estado, e o cargo de conselheiro é o sonho de muitas pessoas que atuaram no setor público. Portanto, nos próximos dias teremos muitas novidades a respeito do tema.


Edmar Lyra


Nenhum comentário:

Postar um comentário