segunda-feira, 17 de junho de 2019

São João de Petrolina vira referência para demais municípios 
Em Pernambuco, muitos municípios estão sofrendo críticas e recomendações do TCE para a não realização dos festejos juninos. Isso se dá porque alguns não estão pagando a folha de pessoal em dia, o que leva os órgãos de controle apresentar sanções aos municípios e seus respectivos prefeitos que acabam tendo um grande desgaste perante à opinião pública.

Para não comprometer recursos públicos com a realização da festa, a prefeitura de Petrolina concedeu à iniciativa privada a realização do evento, que funciona da seguinte maneira: ela paga um valor à prefeitura para explorar comercialmente o evento, e fica livre para conseguir patrocinadores e explorar comercialmente espaços privados no evento, como, por exemplo, a criação de camarotes.

A prefeitura, por sua vez, fica com a responsabilidade de garantir apenas a contratação das atracações para a realização dos eventos e ofertando serviços essenciais como guardas de trânsito, postos móveis de saúde, limpeza no entorno do evento, etc.

Este modelo é de longe o melhor caminho para prefeituras de médio e grande porte realizarem não só o São João como o Carnaval e outras datas comemorativas. No final é um jogo onde todos ganham, pois movimenta a economia da cidade sem utilizar muitos recursos públicos, oferece uma grade de atrações interessantes à população e não compromete a receita da prefeitura.

 O exemplo de Petrolina poderia muito bem ser copiado por outras cidades pernambucanas, que teimam em pagar cachês elevados com recursos públicos e acabam prejudicando as finanças da cidade.


Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário