sábado, 6 de julho de 2019

PE-145! A RODOVIA DO DESCASO

Ao longo dos seus pouco mais de 67 km, a PE-145 é um dos principais eixos de ligação das cidades de Brejo da Madre de Deus e Jataúba as cidades polos de desenvolvimento do Agreste, como Caruaru por exemplo, além de ser rota para os milhares de turistas que anualmente se deslocam até o Distrito de Fazenda Nova (Brejo da Madre de Deus), para prestigiarem o espetáculo da Paixão de Cristo, que é encenado em Nova Jerusalém, maior teatro ao ar livre do mundo.
Há alguns anos, a PE-145 tem ganhado destaque nos principais veículos de comunicação do interior do estado, por suas péssimas condições de trafegabilidade. São enormes buracos que se espalham pela rodovia, desde Jataúba até Cachoeira Seca (Lampião) onde se encontra com a BR-104. 

Tal buraco além de colocar em risco a vida de quem trafega diariamente pela rodovia, trás prejuízos econômicos para os motoristas, que por não conseguir desviar de todos os buracos, acabam danificando seus respectivos veículos.
Além dos buracos, uma cena bastante curiosa chamou a atenção de quem trafegava na rodovia no dia 08 de Junho do ano em curso, no trecho entre o Sítio Estrago e o Sítio Açudinho (Brejo da Madre de Deus). 

Uma grande quantidade de fezes e vísceras de animais espalhadas pela rodovia. Vale salientar que no 10 de junho, a limpeza tinha sido feita, e o material removido da rodovia.
Outro fato curioso ainda sobre a PE-145 chamou a atenção de motoristas que circulam pela mesma. Na ponte sobre o Rio Capibaribe, no Sítio Apolinário (Jataúba), pés de mandacaru e outras plantas nativas estão nascendo em cima da ponte. Claro que não coloca em risco a estrutura da ponte, porém mostra o descaso do órgão responsável em administrar a rodovia.
Dessa forma, os moradores destas cidades, que necessitam trafegar pela PE-145 diariamente, esperam que o governo do estado, através do Departamento de Estradas e Rodagens – DER, tome as medidas para solucionar o problema da rodovia, pois todos sabem que a operação tapa-buracos, que é realizada apenas no período da Semana Santa, e mais especificamente no trecho entre Fazenda Nova e Cachoeira Seca, não é mais suficiente. É preciso fazer um recapeamento completo de toda rodovia, bem como fazer a limpeza dos acostamentos e providenciar a sua sinalização.


Diogenes Ramos/ Blog do DidiRamos


Nenhum comentário:

Postar um comentário