terça-feira, 24 de setembro de 2019

Mundo Cão; Com requintes de crueldade homem mata mulher a facadas toca fogo num colchão e o corpo dela por ciúmes 
A Polícia Militar prendeu um homem identificado como Kaleu Cristian Silva Regueira Costa, 24 anos, suspeito de matar a companheira Samara da Costa Mendes, de 18 anos. 

O crime aconteceu no último domingo no bairro de Santo Amaro, região central do Recife. Samara foi encontrada morta na residência do casal na Rua Três de Fevereiro, no bairro de Santo Amaro. A mulher teve o corpo queimado. Antes de atear fogo, o suspeito confessou à Polícia que esfaqueou a vítima.

Após o crime, o suspeito tentou fugir pelo telhado para não ser linchado pelos moradores que foram alertados por causa do incêndio e encontraram a vítima morta. Kaleu foi contido pela população quando estava destelhando a casa. Uma guarnição da Polícia Militar chegou ao local e ele foi encaminhado ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e em depoimento à Polícia Civil, confessou ter matado a companheira.
Samara da Costa foi encontrada morta com o corpo incendiado na residência do casal na Rua Três de Fevereiro, no bairro de Santo Amaro na região central do Recife.

A Polícia Civil instaurou o inquérito como feminicídio. Os peritos confirmaram que a vítima sofreu ferimentos por arma branca. Havia também uma suspeita de que ela estivesse grávida, mas a perícia descartou a gravidez. O caso foi registrado pelo delegado Sérgio Ricardo.
O suspeito tentou fugir pelo telhado, mas foi contido pela população até a chegada da Polícia Militar.

"Ele confessou que a agrediu com facas, com vários golpes. Logo em seguida, utilizou alguns recipientes de desodorante para fazer uma espécie de lança-chamas. Tocou fogo, com um isqueiro, num colchão e corpo da vítima”, afirmou o delegado.

Ainda segundo Sérgio Ricardo o crime de feminicídio foi qualificado pela forma como a vítima foi morta. “Ele praticou o crime com requintes de crueldade, com muita perversidade. Ele detalhou o crime com muita frieza e muitos detalhes. Ele foi autuado pelo crime de feminicídio com a agravante de violência doméstica, futilidade e atear fogo na vítima”, ressaltou o delegado.
De acordo com vizinhos, o casal morava havia pouco tempo no local. Eles relataram que as brigas como a da noite do domingo (23) eram frequentes.

 Segundo eles, a mulher era uma boa pessoa, querida na comunidade. “Não temos o que falar dela. Ela não tinha qualquer tipo de desavença com ninguém pela comunidade. Estamos muito revoltados”. Um inquérito policial foi instaurado pela Polícia Civil para apurar o caso.


OP9


Um comentário: