terça-feira, 3 de setembro de 2019

Na Paraíba, Haddad chama Bolsonaro de “pobre coitado” e “cabra ruim”
O petista Fernando Haddad (PT) elevou o tom das críticas ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (1°), na Paraíba. Durante o ato SOS Transposição, o petista, derrotado nas eleições para a Presidência em 2018, falou de uma articulação dos poderosos para prender o ex-presidente Lula, do mesmo partido. O evento, em Monteiro, teve o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) entre os seus organizadores e marcou uma tomada de posição das esquerdas no Estado contra o atual presidente.

“O Bolsonaro é tão ruim, é tão ruim, que se a gente fizesse um sorteio para decidir quem ia ser o presidente da República entre todos os brasileiros, o resultado ia ser melhor. Ele é um pobre coitado, é um cabra ruim. É uma pessoa que não tem empatia. Não consegue se colocar no lugar de ninguém. Não consegue se colocar no lugar do negro, do índio, da mulher, do LGBT. Não consegue. Tem dificuldade de enxergar à frente o nordestino, que demorou 500 anos para ser enxergado pela Presidência da República”, disse o petista.

Haddad também lembrou o ex-presidente Lula em várias oportunidades, durante o discurso. Sobre a condenação do petista, alegou que ele cumpre pena sem provas. “Enquanto a justiça não for feita, a gente não vai sair da rua”, sentenciou. Diz que vai mudar de opinião em relação ao ex-presidente quando acharem uma conta dele no exterior ou dinheiro no colchão. Assegurou que no dia em que isso for feito, ele vai procurar Lula e pedir ao ex-presidente que peça desculpas.
“Agora, inventar o que vocês inventaram só para botar esse cara (Bolsonaro) na Presidência, que não sabe conjugar lé com cré? E o Lula fazendo tudo o que fez pelo Brasil? O passaporte do Brasil era respeitado. Eles estendiam um tapete para você”, disse Haddad, alegando que quando se chega no exterior, hoje, é preciso explicar como é que o Brasil elegeu Bolsonaro. “Não foi o povo que colocou o Bolsonaro na Presidência, foi a mentira”, disse.


 
Suetoni Souto Maior / Jornal da Paraíba 


Nenhum comentário:

Postar um comentário