quinta-feira, 24 de outubro de 2019

''Que pena Jataúba não poderá ter um representante''; Torneio para eleger o ''coveiro mais rápido'' será realizado na Paraíba
A cidade do Conde - conhecida pelas praias de águas cristalinas e pelo naturismo de Tambaba -, no Litoral Sul da Paraíba, vai sediar no dia 30 de novembro de 2019 um campeonato para eleger o coveiro mais rápido da região e dos estados vizinhos.

 Batizado de “Pá na Cova”, o campeonato prevê premiação total de R$ 1.200 para a equipe de coveiros que conseguir cavar a cova em menor tempo, com a metragem exata e com melhor estética das paredes.

O organizador do campeonato Fábio de Melo Sousa, conhecido como Fábio Tatu, explicou que a ideia de fazer o torneio surgiu após perceber que a profissão de coveiro é desvalorizada e que merecia o reconhecimento da população de Conde. Até esta quarta-feira (23), quatro equipes tinham realizado inscrição, sendo três da cidade e uma de João Pessoa.

“Todo mundo vai passar pela mão do coveiro um dia, nada mais justo quee dar a chance do coveiro ser reconhecido, porque eles são recriminados”, comentou.

Lembrando que a cidade de Jataúba no agreste Pernambucano, não poderá ter um participante, já que na cidade não existe um coveiro oficial.

Ainda de acordo com o organizador, as inscrições para o torneio, que são gratuitas, só seriam abertas no dia 1º de novembro, mas ele acabou antecipando a abertura depois do vazamento do regulamento do campeonato.

A competição é organizada, tem regulamento e prevê troféus para os três primeiros colocados. As equipes são formadas por duplas e pelo menos um dos dois precisa ser coveiro profissional, com comprovação documental por carteira de trabalho e contracheque. A organização garante água mineral e atendimento médico às equipes.

Entre as obrigações dos participantes está a utilização de roupas e acessórios adequados, para que protejam ao máximo sua integridade física, como bota ou sapato fechado e luvas. É de responsabilidade dos participantes também as ferramentas usadas no torneio, que permite apenas o uso de enxada, enxadeco, pá, picareta, trena e gabarito próprio.

A cova deverá ter no mínimo as medidas de 2,20 metros de comprimento, 0,70 cm de largura e 1 metro de profundidade. O torneio também prevê punição para quem não seguir as regras do torneio. É proibido, por exemplo, jogar terra na cova do vizinho ou insultar os concorrentes sob pena de desclassificação.

Fábio Tatu garante que a premiação aos três vencedores que totaliza R$ 1.200, divididos em R$ 600 para o primeiro, R$ 400 para o segundo e R$ 200 para o terceiro, é paga com recursos próprios. O organizador é servidor público da Prefeitura de Conde e ex-vereador do município.


Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário