quinta-feira, 14 de novembro de 2019

DEFESA DO MÉDICO APONTADO COMO SENDO CAUSADOR DE ACIDENTE COM TRÊS MORTES NA BR-104 SE PRONUNCIA EM COLETIVA DE IMPRENSA
Durante a tarde desta quarta-feira (13), os advogados do médico acusado pela Polícia Civil como sendo o causador do acidente de trânsito na BR-104 no município de Taquaritinga do Norte, Agreste Setentrional de Pernambuco, que culminou com três mortes, se pronunciaram através de uma coletiva de imprensa.

A defesa do Dr. André Neves representada pelos advogados Ewerton Nazareno, Marquinhos e Gláucio Fernandes, falaram a respeito do fato que aconteceu no dia 19 de outubro desse ano. Clique AQUI e relembre.

Os advogados relataram que o seu cliente não se evadiu do local, após o acidente. “Eu gostaria de desmistificar, toda situação que foi trazida à tona, com relação a possível fuga, ou a possível omissão por parte do Dr. André, no tocante, tanto a sua presença no local do fato, como a sua omissão de socorro”.

A defesa falou ainda que o Médico queria se apresentar na Delegacia de Polícia no dia do fato.

“Quero deixar bem claro, que no dia 19 de outubro de 2019, quando aconteceu o evento fatídico, quando aconteceu o fato, o André se disponibilizou desde então a se apresentar na Delegacia de Polícia local, aqui no plantão. E o Delegado Dr. Luiz Carlos, diante mão, já mencionou ao Dr. Ewerton, que o prenderia em flagrante delito, se ele se apresentasse naquele momento. Motivo pelo qual a defesa do André peticionou nos saldos, informando desde então toda classe policial do estado de Pernambuco, informando em um inquérito policial, na portaria que foi instaurada, que o Dr. André estaria disponível desde então para presta seus interrogatórios e suas devidas declarações”, falou a defesa.

De acordo com um dos advogados, por opção do Delegado que presidiu o inquérito, o acusado só se apresentou na terça-feira seguinte, pois a autoridade policial achou por bem escutar primeiro as testemunhas.

A Defesa relata que o seu cliente não fez uma ultrapassagem e sim desviou, via reflexo, para não colidir em uma motocicleta que vinha com uma baixa velocidade na BR-104, foi quando condutor visualizou o outro automóvel e freou, porém, o motorista do Crossfox perdeu o controle e colidindo no veículo do Dr. André Neves.

Para os advogados, inexiste nos autos uma prova que o Dr. André tenha ingerido bebidas alcoólicas e que não sabe de onde o delegado responsável pela investigação tirou essa informação.

“Inexiste nos autos uma prova, um elemento de informação contundente que efetivamente se tenha ingerido bebida alcoólica ou que veria em alta velocidade”, afirmou completando: “Nem a perícia trás isso nos autos. Eu não sei de onde o delegado tirou isso!”, concluiu a defesa garantindo que todas as provas virão à tona e será concluído quem foi o responsável pelo acidente.


Blog Agreste Noticia


Nenhum comentário:

Postar um comentário