sábado, 9 de novembro de 2019

Lula solto fortalece o antagonismo com Bolsonaro 
A decisão do STF na última quinta-feira de proibir a prisão em segunda instância, trouxe um desdobramento imediato com a soltura de alguns presos, em especial o ex-presidente Lula que foi liberado ontem da prisão. Fiel ao seu estilo, Lula mostrou que continua o mesmo animal político de sempre.

Lula fez duras críticas ao judiciário e evidenciou que vai seguir fazendo política fora da prisão. Faltando pouco mais de dez meses para as eleições municipais, Lula será um importante eleitor na disputa do ano que vem e consequentemente antagonizará com o presidente Jair Bolsonaro.

No Nordeste, onde é tido como uma das maiores lideranças políticas da história, sobretudo nos grotões, Lula livre terá condições de influenciar diretamente a favor dos seus candidatos nas disputas para prefeito e vereador. É importante lembrar que mesmo preso, Lula conseguiu transferir uma significativa margem de votos para o candidato do PT, Fernando Haddad, que foi derrotado pelo presidente Bolsonaro, fora da cadeia, poderá atuar fortemente nas disputas municipais.

A volta de Lula para o ringue político e eleitoral é o grande fato novo das eleições municipais de 2020. E caberá a Bolsonaro fazer o contraponto com resultados práticos em seu governo, sobretudo na economia para não ser ofuscado pela presença de Lula no dia a dia da política.

Marília Arraes – “O STF cumpriu seu papel de guardião da Constituição e que historicamente tem feito no Brasil quando, por exemplo, durante a Ditadura Militar, contrariou o governo ditatorial e soltou Arraes, soltou Vladimir Palmeira, fazendo cumprir o que a Constituição brasileira determina. Foi o que aconteceu agora. A soltura de Lula é uma demonstração de que a eleição de 2018 se deu em um ambiente ilegítimo e que o candidato que ganharia as eleições deveria estar solto, como foi agora. Vivemos um novo momento na história do Brasil. É um marco porque nós estamos em um estado de golpe desde 2016. Aliás, desde que acabou a eleição de 2014 e que a parte derrotada nas urnas não aceitou o resultado, nós vivemos momentos de cerceamento, de ataques a democracia e o que aconteceu hoje, o julgamento do STF, a soltura do presidente Lula, vem marcar, talvez, o começo de novas conquistas e de volta das conquistas do povo brasileiro. “, afirmou a deputada sobre a soltura de Lula.

Inocente quer saber – ''Quem mais será solto após a decisão do STF?''


Edmar Lyra


Nenhum comentário:

Postar um comentário