sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Decisão do governador Paulo Câmara leva polo automotivo para o Agreste Pernambucano
O anúncio da ida da empresa Yazaki para o município de Bonito, no Agreste Central, é um verdadeiro gol de placa do Governo de Pernambuco. 

O governador Paulo Câmara (PSB) oficializou, em dois momentos diferentes, a chegada da empresa japonesa, que produzirá componentes para a fábrica da Jeep, em Goiana. Primeiro, à tarde, o socialista comandou a tradicional solenidade de anúncio no Palácio do Campo das Princesas, quando pôde detalhar mais esse investimento privado para toda a grande Imprensa do Recife. Depois, à noite, junto aos moradores de Bonito, assinou a papelada que garante a fixação do novo empreendimento na cidade. Esse gesto fez explodir uma verdadeira festa no município e reforçou o sentimento de Pernambuco como referência para o Brasil no quesito atração de investimentos e descentralização do desenvolvimento.

Somente em 2019, foram 115 empresas que anunciaram novos empreendimentos. São R$ 15 bilhões em aportes privados, reforçando muito a nossa economia e implicando na geração de cerca de 80 mil novos empregos até 2022 em diferentes regiões. Esses números, inclusive, foram retratados na pesquisa divulgada, na semana passada, pela Amcham que revelou que a maioria dos empresários e executivos do Nordeste apontam Pernambuco como o estado mais competitivo.

E, pegando o caso específico de Bonito, a competitividade pernambucana ficou clara. Por conta dessa capacidade de fazer o diferente, assegurando as condições necessárias para o desenvolvimentos dos negócios, está sendo possível colocar na realidade de um município que tem no turismo a sua base econômica a presença do setor industrial mais nobre, o automotivo.

O natural seria a instalação da Yazaki em Goiana ou em uma cidade próxima, perto da sede da Jeep. Porém, o natural, o usual não é mais suficiente para superar as dificuldades que tomam conta do Brasil. É preciso ter ousadia e o governador Paulo Câmara foi ousado e garantiu a fixação da planta a mais de 190 quilômetros de distância. Um empresário, ainda mais japonês, que gosta de tudo certinho e preto no branco, só realiza uma ação dessa quando confia cegamente na capacidade de um governo de cumprir o que acorda. E o resultado todo mundo viu: são novos 1.600 empregos para uma região que jamais teve qualquer expectativa de trabalhar em uma indústria de ponta.

Esperamos que esta ousadia continue presente no Governo para que Pernambuco possa gerar cada vez mais emprego e renda para a população do nosso estado.


Edmar Lyra


APOIO CULTURAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário