quinta-feira, 12 de março de 2020

Em Jataúba Consulta Pública é realizada para a criação de Unidades de Conservação da Bacia do Rio Capibaribe
O Governo de Pernambuco, por meio da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH), realizou, na manhã do último sábado (7), mais uma etapa da programação de consultas públicas para a criação de unidades de conservação (UCs), em oito municípios que integram a Bacia do rio Capibaribe. Desta vez, a ação foi realizada no Sitio Enxotado, localizado no município de Jataúba, no Agreste Central, e contou com a presença de políticos, representantes de associações de agricultores dos municípios de Jataúba e circunvizinhos, além de moradores de diversas localidades.
O evento iniciou com uma explanação do diretor presidente da CPRH, Djalma Paes, que ressaltou a importância da criação da unidade de conservação para preservar a mata, a biodiversidade do bioma caatinga, da história e cultura local e dos mananciais. "Não precisamos perder nossa identidade, precisamos preservar para que as gerações futuras tenham a oportunidade de conhecer o que temos hoje", adiantou ressaltando a necessidade da preservação dos mananciais para manutenção do ecossistema.
Ressaltando que o processo de criação das UCs não termina com as consultas públicas, o diretor presidente da CPRH explicou que a participação da comunidade será muito importante para definir as atividades que serão desenvolvidas na área de preservação.Com a criação das unidades de conservação, também estão previstos corredores ecológicos que vão interligar as áreas para que possa haver o deslocamento de animais, a dispersão de sementes e o aumento da cobertura vegetal.
Além disso, foi destacado as espécies de animais raros que só existem lá, tais como a águia chilena, entre outras espécies ameaçadas de extinção, e também a criação de um corredor ecológico onde irá ligar a reserva de Jataúba a reserva já existente em brejo da madre de Deus, a área dessa reserva ficará 28% em poção e 72% no território de Jataúba. A partir da criação dessa unidade de conservação, o município passará a receber o ICMS verde, onde esse recurso será usado para ações voltadas à preservação da reserva e de outras áreas no município, consequentemente o município irá preservar os Sítios arqueológicos existentes na reserva, onde poderá ser explorado o ecoturismo sustentável.


Fonte: Agência Estadual de Meio Ambiente – CPRH; Outras informações: Carlos Xavier; Fotos: Arnaldo Vitorino


APOIO CULTURAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário