quarta-feira, 22 de abril de 2020

Em reunião com o novo ministro da Saúde, Governador Paulo Câmara defende isolamento social
 (O governador também falou da necessidade no estado de respiradores, EPIs e testes para detectar a doença. Foto: Governo do Estado\Divulgação)
Durante videoconferência realizada nesta segunda-feira (20), com o ministro da Saúde, Nelson Teich, o governador Paulo Câmara (PSB), além de questionar o novo gestor da pasta sobre o isolamento social, também deixou claro a necessidade de Pernambuco de respiradores, EPIs e testes para detectar a Covid-19. O socialista participou do encontro virtual como o novo ministro junto com os demais governadores do Nordeste.

O governador lembrou, ainda, que Pernambuco tem feito grandes investimentos, em recursos financeiros e capital humano, para ampliar a rede de atendimento, mas frisou que o mercado tem dificuldades para ofertar, com a urgência necessária, equipamentos essenciais, como respiradores, máscaras, aventais, entre outros itens básicos para equipar os hospitais.

De acordo com a assessoria do governador, Nelson Teich se colocou à disposição e pediu um prazo de três dias para apresentar um plano que possa atender as demandas apresentadas. A reunião remota com Nelson Teich foi solicitada pelos governadores nordestinos na última sexta-feira (17) durante uma videoconferência do grupo. Na ocasião, os gestores também enviaram um ofício ao Ministério da Saúde, pedindo a liberação de médicos formados fora do país para atuarem no enfrentamento ao novo coronavírus.

Em entrevista ao Congresso em Foco, antes do encontro com o ministro, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), adiantou alguns temas a serem tratados na reunião, entre eles a apresentação do plano de cada estado consolidado; previsão de crescimento da Covid-19 até o dia 15 de março; demanda por leitos clínicos e leitos de UTI, equipamentos e credenciamentos e  pessoal e custeio. 

"E a necessidade de manter o isolamento social", destacou o petista. Nelson Teich assumiu o Ministério da Saúde na última sexta-feira, em substituição a Luiz Henrique Mandetta que foi demitido do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por discordar das medidas adotadas pelo ex-ministro de combate ao coronavírus, entre elas o isolamento social.


 Informações do Diário de Pernambuco



APOIO CULTURAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário