segunda-feira, 8 de junho de 2020

Pernambuco zera fila de espera por UTI voltada para pacientes com COVID-19
A Secretaria de Saúde de Pernambuco informou neste domingo (07) que o Estado zerou a fila de espera de Unidade de Terapia Intensiva para pacientes com coronavírus. Pernambuco chegou a ter 300 pessoas aguardando por uma vaga. Ao longo do mês de maio esse número foi caindo. Na semana passada, no dia 01, cerca de 60 pessoas aguardavam uma vaga. Na sexta-feira (05), o número caiu para pouco mais de 30, e a expectativa do secretário de Saúde do Estado, André Longo, era que até a próxima segunda-feira (08) todos estivessem num dos leitos.

“É importante destacar que Pernambuco, por já possuir uma rede de saúde robusta e com uma condição de suporte respiratório diferenciado, conseguiu garantir a assistência a todos os pacientes, mesmo enquanto esperavam momentaneamente por um vaga de terapia intensiva. Todas as nossas salas vermelhas das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e das emergências hospitalares contam com suporte de oxigêncio e respiradores, que inclusive foi reforçada durante os preparativos da rede para enfrentar a pandemia”, ressalta o secretário André Longo.

Segundo o Estado, a diminuição da pressão sobre a rede de saúde é uma tendência que está sendo observada nos últimos dias pela Central de Regulação de Leitos de Pernambuco. As solicitações de internação, que chegaram a mais de 2,1 mil em maio, caíram mais de 30%, e chegaram a 1,4 mil na semana passada. Essa tendência de redução vem sendo observada ao longo das duas últimas semanas.

O Governo também garante que nas 15 UPAs estaduais, que são a principal porta de entrada da rede de urgência e emergência, a redução da curva epidêmica e da taxa de transmissão no Estado já está sendo sentida. Os atendimentos a pacientes com quadros respiratórios apresentaram uma queda de 60% na comparação de junho com maio deste ano, passando de 662 no dia 05 de maio para 269 em 05 de junho.

O que justificaria a melhora nos números, de acordo com o Palácio do Campo das Princesas, seriam os resultados do lockdown implementado no Estado entre 16 e 31 de maio, além dos esforços do governo estadual e da Prefeitura do Recife para ampliar a abertura de leitos nos últimos meses. Os números mostram que, durante a pandemia, 1543 leitos foram abertos em 20 municípios pernambucanos, sendo 688 de UTIs e 855 de enfermaria. O Recife, por sua vez, tem 864 vagas ativas: 212 de UTI e 652 de enfermaria.

"Em 18 de março, ao lado do prefeito Geraldo Julio, anunciamos que iríamos abrir mil novos leitos para enfrentar a Covid-19. Hoje, somando Estado e Prefeitura da Capital já colocamos à disposição dos pernambucanos 2.407 leitos, sendo 900 de UTI e 1.507 de enfermaria. Vamos continuar reforçando nossa capacidade de atendimento para dar uma assistência digna à população”, garantiu o governador Paulo Câmara, durante pronunciamento.

Apesar da boa notícia, André Longo ressalta que este não é o momento para afrouxamento do distanciamento social, principal medida de enfrentamento ao coronavírus. "Mesmo com dados positivos, ainda não é momento de relaxarmos. O Governo de Pernambuco vai continuar fazendo sua parte, trabalhando para abrir novos leitos e criar as condições para que possamos prosseguir nossa caminhada rumo a uma nova normalidade", pontuou o secretário. Hoje, a taxa média de ocupação dos leitos dedicados à Covid-19 está em 76%, sendo de 62% nos leitos de enfermaria e 96% nos leitos de UTI.


jc.ne10.uol.com.br


APOIO CULTURAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário