sexta-feira, 2 de outubro de 2020

DETENTOS DE PERNAMBUCO COMEÇAM A RECEBER SALÁRIOS EM CONTA BANCÁRIA

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) realizou, na tarde desta quinta (01), um ato simbólico da entrega dos cartões do Banco do Brasil (BB) às pessoas privadas de liberdade (PPLs). Na Sede da SJDH, o secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues, juntamente com gerentes da Executiva de Ressocialização (SERES), recebeu representantes da instituição financeira.

A partir deste mês de outubro todos os detentos concessionados - trabalhadores das unidades prisionais - que cumprem pena no regime fechado ou semiaberto, terão o seu salário depositado em conta corrente, podendo ser retirado pelo próprio reeducando, caso ele seja do semiaberto, ou por alguém da família. Assim, não haverá mais o pagamento em espécie. O secretário Cícero considera a parceria um avanço.

“Essa medida vai repercutir na segurança da unidade e na relação entre presos e famílias. A circulação do dinheiro em espécie vai diminuir nas unidades e poderá facilitar o acesso das famílias ao recurso financeiro para suprir necessidades”.

Ele acrescenta que a PPL vai escolher quem vai ficar com o cartão. Neste momento, são beneficiados com a parceria apenas os presos concessionados. A ideia é incluir, posteriormente, os que atuam por meio de convênios.

“Essa parceria é importante para a ressocialização, mas tem muito significado para o banco, pois colocamos à disposição do sistema prisional uma solução que leva conveniência, mais segurança, enfim, mais controle para o sistema”, destacou o superintendente do banco, José Eduardo Pereira de Lima.

Estiveram presentes também o gerente Administrativo-Financeiro, Murilo Cavalcante, e a gerente da Colônia Penal Feminina do Recife, Elisângela Santana, ambos da SERES; além do gerente de Negócios, Luciano Moraes Alves, e o assistente de Negócios, Bruno Garret de Melo Salles, pelo Banco do Brasil.

Trabalho - A SERES tem hoje 2.200 presos do regime fechado e semiaberto trabalhando, sendo 1.674 concessionados. O valor recebido, de acordo com a Lei de Execução Penal, corresponde a 75% do salário mínimo, desse, 25% vai para o pecúlio podendo ser retirado ao adquirir a liberdade. Os presos que trabalham têm também a remição de um dia a cada três trabalhados. Os concessionados são responsáveis pelos trabalhos de manutenção dentro dos estabelecimentos penais.


 Fonte: Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário