terça-feira, 12 de janeiro de 2021

João Campos sinaliza prioridade na zeladoria da cidade 
O prefeito do Recife João Campos (PSB) em pouco mais de dez dias à frente da capital pernambucana, evidenciou a necessidade de se cuidar dos equipamentos públicos da cidade. Ele tem atuado na requalificação dos 99 canais que cortam o Recife, bem como ampliando a oferta de calçadas cuidadas, sinalizando que irá priorizar a zeladoria do Recife, para que volte a ser exemplo de urbanismo e limpeza, posto que há décadas foi perdido.

Uma cidade bem cuidada eleva a autoestima dos cidadãos e contribui para evitar que se coloque em prática a teoria da janela quebrada, que consiste em quanto mais abandonado o local ficar mais depredado ele será. Atuando na limpeza, na mobilidade e na iluminação, João Campos mostra que está antenado com os anseios dos recifenses.

Porém, é preciso que a população também faça sua parte, parando de jogar lixo nos canais e denunciando quem mantiver esta prática. Uma cidade bem cuidada é sempre sinal de bem-estar para toda a população e isso traz efeitos sociais e econômicos que criam um círculo virtuoso na vida das pessoas.

Pandemia – Em função do “aumento de casos da covid-19 no Estado”, o Ministério Público do Trabalho (MPT) suspendeu, a partir desta segunda (11), suas atividades presenciais em Pernambuco. A informação foi divulgada no site oficial do órgão federal, vinculado ao Ministério Público da União. As denúncias ao MPT agora deverão ser feitas pelos canais eletrônicos na Internet.

Lentidão – Em nota oficial, a Procuradoria Geral da República (PGR) rebateu uma reportagem, de jornal de São Paulo, que dizia haver “inação” do órgão em inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). “Apenas a título de exemplo, no intervalo de um ano – de setembro de 2019 a setembro de 2020 –, o procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou mais de 22 mil manifestações em matéria criminal para o STF e o STJ”, justifica a chefia do Ministério Público Federal (MPF).

Urnas – O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, não gostou das novas falas de Jair Bolsonaro (sem partido) sobre supostas fraudes no processo eleitoral de 2018. “A vida institucional não é um palanque, e as pessoas devem ser responsáveis pelo que falam. Se alguma autoridade possuir qualquer elemento sério que coloque em dúvida a integridade e a segurança do processo eleitoral, tem o dever cívico e moral de apresentá-lo. Do contrário, estará apenas contribuindo para a ilegítima desestabilização das instituições”, disse o ministro do TSE. Bolsonaro se manifestou após a recente crise nos Estados Unidos, decorrentes de falas do presidente Trump.

Partido também –
Como futuro líder do PSB a partir de fevereiro, o deputado federal Danilo Cabral trabalha para buscar a unidade da bancada, que rachou em três partes: defensores do apoio a Baleia Rossi, a Arthur Lira e tem ainda quem defenda que o PSB apresente candidato à presidência.

Inocente quer saber –
O Twitter agiu corretamente ao censurar Donald Trump?


Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário