domingo, 21 de fevereiro de 2021

Bolsonaro em Pernambuco: “É sempre motivo de muita alegria visitar o nosso Nordeste”
Bolsonaro participa de mais uma etapa do Projeto de Integração do Rio São Francisco que visa garantir água aos nordestinos que enfrentam a seca e teve início, nesta sexta-feira, 19 de fevereiro, os testes do Ramal do Agreste.

Bolsonaro saudado como mito na chegada a PE

As comportas que deram passagem à água foram acionadas no reservatório de Barro Branco, em Sertânia (PE). O Presidente Jair Bolsonaro e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, acompanharam o acionamento.

“Água é vida para este povo sofrido do nosso Nordeste. Isso é mais do que ganhar na mega sena. A água não tem preço”,
afirmou o presidente.

O Ramal do Agreste, em conjunto com a Adutora do Agreste, distribuirá a água do Eixo Leste da Integração do Rio São Francisco para até 2,2 milhões de pessoas.

O acionamento das comportas possibilita o enchimento do sistema adutor até o Reservatório Góis. Após a testagem de todas as estruturas do Ramal do Agreste e, posteriormente, da Adutora do Agreste, o abastecimento poderá ser iniciado.

FBC destaca resgate de projeto hídrico para o NE

Na saudação ao presidente Bolsonaro, há pouco, em Sertânia, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), destacou a importância do Ramal do Agreste para conclusão da Adutora do Agreste e afirmou que o Governo Bolsonaro resgata "uma grande obra hídrica para levar água a milhares de pernambucanos". Veja

O Ramal do Agreste; No total, o Ramal do Agreste tem 70,8 quilômetros de extensão e capacidade de vazão de 8 mil litros de água por segundo. Quando finalizado, levará as águas do Eixo Leste do projeto São Francisco, que está em pré-operação desde 2017, à região de maior escassez hídrica de Pernambuco.
A entrega do Ramal, que completou 84,15% de execução, está prevista para dezembro de 2021.

Água embala Bolsonaro; Se o presidente Bolsonaro conseguir cumprir até o final do seu mandado o calendário das obras hídricas no Nordeste que retomou dos governos passados, retomar o auxílio emergencial e ampliar o Bolsa-família será muito difícil a oposição impedir a sua reeleição. Quanto ao Nordeste, que por muito tempo foi santuário eleitoral de Lula, ele já percebeu que se consolida em cima da ação hídrica.

Água é o maior problema da Região. Bolsonaro confiou a um nordestino, o potiguar Rogério Marinho, a missão de resgatar todos os projetos hídricos inconclusivos na era PT, como a mega Transposição do Rio São Francisco. Ontem, em Sertânia, a 300 km do Recife, Bolsonaro acionou o sistema adutor do Ramal do Agreste, pelo qual a água do Velho Chico alimentará a Adutora do Agreste, outro feito hídrico fantástico, que vai matar a sede de 2,5 milhões de nordestinos.
Por onde passou no Nordeste nas últimas agendas cumpridas, o presidente não chegou de mãos abanando. Praticamente em todos os Estados, da Bahia ao Maranhão, falou de água, acionou novos sistemas, liberou recursos e mostrou que está em sintonia com a prioridade número um do Nordeste: água.

Só é perceptível o valor da água depois que a fonte seca. Se depender da programação que o ministro Rogério Marinho traçou, muitas fontes renascerão, a Transposição dará um salto de qualidade. Está na Bíblia: Deus usa a sede para nos mostrar o valor da água!
No Nordeste, atingido secularmente pelas secas inclementes, a indústria do carro pipa e a manipulação de obras eleitoreiras elegeram uma legião de oportunistas. O Nordeste cansou, daí a obstinação de Bolsonaro em concluir o que o PT abandonou. Está posto o seu desafio para "roubar" o eleitorado cativo de Lula no Nordeste.
Será reconduzido – Pela forma como o presidente tratou, ontem, em Sertânia, o seu líder no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), não resta nenhuma dúvida da sua recondução. Além de ser o principal cicerone, FBC fez um discurso que tocou o coração do presidente, arrancando aplausos dos que ali foram chamar Bolsonaro de "mito". O líder mostrou ainda profundo conhecimento do programa hídrico do Governo e das ações tocadas pelo ministro do Desenvolvimento, Rogério Marinho. (Por Magno Martins).
Investimentos na obra; O Ramal do Agreste está orçado em R$ 1,67 bilhão. Desse total, R$ 1,3 bilhão já foram empregados. Oitenta e oito por cento do montante foi liberado no atual Governo.

Cerca de 2,6 mil trabalhadores atuam no empreendimento que, além de levar água a quem precisa, gera emprego e renda.
Eixo Leste

O Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco está com 97,13% de execução e em pré-operação desde março de 2017, beneficiando 57 municípios, sendo 21 em Pernambuco e 36 na Paraíba.

Só que desde o final de fevereiro de 2020, a Transposição não jorra se quer, um pingo d'água no Rio Paraíba. Tudo por falta de interesse dos deputados federais paraibanos, que não pressionam o MDR, para que o ribeirinhos do rio, possam ter vidas dignas. Lamentável.

Atualmente, desde o final de setembro de 2020 as bombas das EBV's do Eixo Leste foram religadas, porém, apenas pra atender a demanda da Compesa-PE.
Integração do Rio São Francisco

Com 477 quilômetros de extensão, o Projeto de Integração do Rio São Francisco é o maior empreendimento hídrico do país. A obra está com 97,48% de execução física, somando mais de R$ 12 bilhões em investimentos do Governo Federal.

Quando todo o complexo formado pelos eixos Norte e Sul e as obras complementares estiverem concluídos, será possível levar segurança hídrica e desenvolvimento aos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Cerca de 12 milhões de pessoas em 390 municípios serão beneficiadas, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional.


Da redação do Portal com informações do Planalto / Vídeos: Blog do Magno Martins/Magno Martins / Adaptação: Blog do Alberto Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário