terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Embora ainda faltem 1 ano e 10 meses para que o governador Paulo Câmara (PSB) encerre o seu mandato, muito já se especula sobre o seu futuro pós Palácio do Campo das Princesas. 
Vale lembrar que os últimos dois governadores, Jarbas Vasconcelos e Eduardo Campos, se afastaram do mandato para concorrer a cargos eletivos. Jarbas se afastou do Governo no ano de 2006, deixando o seu vice Mendonça Filho na cadeira de governador, e disputou uma vaga para o Senado Federal. 

Por sua vez, Eduardo Campos deixou o Governo em 2014 para encarar a presidência da República, o que resultou na posse do seu vice João Lyra Neto como governador. Será que Paulo Câmara seguirá pelo caminho dos antecessores ? Quais alternativas?

Caso deseje se afastar do mandato para concorrer ao Senado ou Câmara Federal, Paulo deverá fazê-lo no dia 1º de abril de 2022, data limite imposta pela legislação eleitoral. O problema em questão é que, diferente de Eduardo Campos, que tinha o seu vice “preso” no PSB, o que lhe possibilitava conduzir com segurança a escolha do seu candidato, Paulo tem como vice Luciana Santos do PC do B, que, sentada na cadeira de governadora, pode se achar no direito de concorrer à reeleição e atrapalhar os planos do PSB que tem Geraldo Júlio como candidato já escolhido pelo partido.

 Porém, a possibilidade de fusão do PC do B com o PSB, ideia que vem sendo amadurecida entre os comunistas, uma vez que há grande possibilidade do partido não atingir a cláusula de barreira nas eleições de 2022. 

Esse movimento pode garantir Luciana no PSB e dar a Paulo a segurança necessária para se afastar do mandato no próximo ano para concorrer a um cargo eletivo. Neste caso o mais provável caminho seria à Câmara Federal. Apesar de Paulo Câmara ser competitivo para o posto, a vaga para o Senado pode ser destinada a um outro partido da Frente Popular como forma de contemplar aliados na chapa majoritária.


Fonte - Blog Ponto de Vista

Nenhum comentário:

Postar um comentário