terça-feira, 23 de março de 2021

Cientistas da Rede Genômica Fiocruz detectaram alterações inéditas na proteína Spike do vírus Sars-Cov2 em circulação no Brasil.
A descoberta, identificada a partir da metodologia de sequenciamento genético, é proveniente de amostras coletadas em pacientes de sete estados: Amazonas, Bahia, Maranhão, Paraná, Rondônia, Minas Gerais e Alagoas.

Os pesquisadores ressaltam que, até o momento, poucos genomas apresentaram as alterações e que ainda não se caracteriza como a formação de uma nova linhagem do vírus, mas alertam que é preciso permanecer com o monitoramento para acompanhar se essas alterações aumentarão com frequência.

Os cientistas destacaram a necessidade urgente de ampliação da vacinação e de implementação de medidas não-farmacológicas eficazes, a fim de mitigar a transmissão comunitária e o surgimento de variantes mais transmissíveis.

"Aqui vemos, pela primeira vez, que as linhagens brasileiras estão seguindo o mesmo caminho evolutivo das demais variantes de preocupação. As mutações agora alcançaram outro importante ponto da proteína viral", explica Gabriel Wallau, um dos pesquisadores que integram a Rede Genômica Fiocruz.


Informações da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário